Sob um olhar excêntrico, o fotógrafo Christian Cravo dá ao continente africano uma nova cara. Seu ensaio Luz e Sombra, desenvolvido ao longo de sete anos, estará disponível para a visitação do público fortalezense a partir do dia 10 de março, no Museu da Fotografia Fortaleza.

A exposição é fruto da imersão de Christian Cravo em sete países africanos: Namíbia, Zâmbia, Botsuana, Quênia, Tanzânia, Congo e Uganda. Uma África monumental, plástica e nada clichê é construída a partir de recortes abruptos, que dispõem fragmentos de animais e paisagens, privilegiando a estética à narrativa nos retratos do fotógrafo. Em Luz e Sombra, o fotógrafo foca na construção da própria imagem, através de questões intrínsecas a luz, tempo e espaço.

Através do uso exacerbado de cortes, busca com a técnica não documentar o real, mas apenas arrancar dele uma pequena porção por meio de ousados enquadramentos, seccionando paisagens e corpos de animais, e destacando, muitas vezes, apenas texturas. Na série africana, diferentemente de outras de sua autoria, Christian suprime a atmosfera cênica e narrativa dos personagens anteriores com a exclusão da figura humana, minando qualquer relação entre conteúdo e significado, apoiando-se exclusivamente num campo formal e estético. A mostra foi inaugurada em 2012, na galeria Throckmorton Fine Art, em Nova York. Em 2014, a exposição passou pelo Museu Rodin Bahia, de Salvador e, em 2015, pelo Museu Afro Brasil, de São Paulo. Esta última foi premiada como a melhor exposição fotográfica do ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

Christian Cravo

Nascido em 1974, em Salvador, Bahia, Christian Cravo é filho de mãe dinamarquesa e de pai brasileiro. Sua experiência com a técnica fotográfica ocorreu aos 11 anos de idade, enquanto morou na Dinamarca, lugar onde passou toda sua adolescência. Com 22 anos, Christian retornou à terra natal e começou a encarar a máquina fotográfica com outros olhos. Ao longo dos últimos 25 anos, teve seu trabalho reconhecido, nacional e internacionalmente, por meio de exposições em importantes instituições culturais, como o Museu de Arte Moderna da Bahia, em Salvador; o Instituto Tomie Ohtake e o Museu Afro Brasil, em São Paulo; o próprio o Ministério da Cultura, em Brasília; e as galerias Throckmorton Fine Art, de Nova York, e Billedhusets Galeri, em Copenhague. Christian também foi um dos mais jovens artistas a receber o prestigioso prêmio norte americano, Guggenheim, além de ter sido indicado três vezes como finalista do desejado Prix Pictet.


Sobre o Museu

Compreendendo sua função social para além do espaço expositivo, o Museu da Fotografia realiza uma série de ações que têm como objetivo a divulgação de novos talentos e a promoção da fotografia contemporânea a partir da realização de cursos e visitas guiadas para a terceira idade e de oficinas e workshops voltados a artistas, estudantes e educadores – resultado, inclusive, da proximidade da instituição junto às Secretarias de Cultura (Secult) e de Educação do Estado (Seduc) e às Secretarias Municipais da Educação (SME) e de Cultura de Fortaleza (Secultfor). O MFF tem também uma equipe de monitoria formada pelos alunos dos cursos de Comunicação Social da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Fortaleza (Unifor), Pedagogia da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Artes Visuais do Instituto Federal do Ceará (IFCE) e do curso de Fotografia do Porto Iracema das Artes.


Serviço:
Luz e Sombra
Data: a partir do dia 10/03/2018
Período da Exposição: Março a Julho de 2018.
Local: Museu da Fotografia Fortaleza
Endereço: Rua Frederico Borges, 545. Varjota. Fortaleza – CE
Visitação: de quarta-feira a domingo, das 12h às 17h

Fonte - Agência da Boa Noticia

  • Cidade: Fortaleza
  • Data da Realização: De 10 de Março de 2018, às 17:00:00
    à 10 de Julho de 2018